Eleições municipais reduzem presença da oposição no Congresso Nacional

 

A oposição deve perder três cadeiras na Câmara dos Deputados com a convocação de suplentes para o lugar dos nove deputados federais que foram eleitos prefeitos ou vice-prefeitos neste ano. Segundo levantamento da Secretaria-Geral da Mesa Diretora, os partidos de esquerda e centro-esquerda devem passar de 133 para 130 deputados. PT, PSB e PDT vão perder um assento cada. Enquanto isso, o PL e o PSD conquistam, cada um, uma nova cadeira. Ambos fazem parte da base aliada do governo na Casa. Outro partido que ganha um deputado a mais é o PSDB, que não é da base governista, mas já votou com o Planalto sobretudo em pautas de economia.

Isso acontece porque os suplentes dos deputados eleitos são definidos pela ordem dos mais bem votados entre os não-eleitos da coligação que foi formada nas eleições de 2018. Por isso, a suplência nem sempre fica com alguém do mesmo partido ou até da mesma corrente ideológica. Pela atual lei eleitoral, as coligações deixaram de existir em eleições para cargos do Legislativo a partir da eleição deste ano. A nova regra também vale a partir de 2022. Da Redacao