Mourão ameniza críticas de Eduardo Bolsonaro e se consolida como figura conciliadora

GENERAL CONCILIADOR

Após a crise gerada por comentários feitos pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, voltou a agir como conciliador e exaltou a relação entre Brasil e China. “Oportunidade e estratégia andam juntas em nosso relacionamento”, disse o general. Ele também ressaltou a expertise tecnológica da China após o filho do presidente Bolsonaro acusar o país asiático de espionagem via 5G e receber resposta dura dos chineses. Apesar de ter apagado a publicação, o deputado reiterou suas preocupações, dizendo ter suas convicções e suspeitas fundadas.

VELHA PRÁTICA

Começou por São Paulo, mas o Ministério Público de vários estados já investigam denúncias de candidaturas “laranjas” de mulheres. É que após o primeiro turno dos pleitos municipais, começam a surgir desconfianças de uso de mulheres como laranjas. Atualmente, a Justiça Eleitoral obriga que 30% das candidaturas de coligações sejam femininas. A norma é colocada como condição para que os partidos tenham acesso ao Fundo Eleitoral. Um fato que reforça essa suspeita é que mulheres são maioria entre candidatos que não obtiveram nenhum voto. Ou seja, se candidataram, mas não pediram votos. No primeiro turno 3.454 candidatas não obtiveram sequer um voto, 64,2%. Ao todo, o pleito teve 187.028 candidatas, o que correspondente a 33,55%

VACILARAM

A pandemia da Covid-19 vem causado preocupação a senadores e deputados aqui em Brasília. É que uma onda de infecção pelo novo coronavírus atinge parlamentares de forma preocupante. Médicos avaliam que infecção entre congressistas está relacionada, especialmente, à participação deles nas eleições municipais, ao atuarem em apoio a aliados. Entre os que testaram positivo nos últimos dias estão os deputados federais Osmar Terra (MDB-RS), Sâmia Bonfim (Psol-SP), Fábio Trad (PSD-MS) e Hildo Rocha (MDB-MA). Já entre senadores, Luiz Carlos Heinze (PP-RS), Kátia Abreu (PP-MT) e Ângelo Coronel (PSD-BA).

VACILARAM (2)

No governo, a covid-19 também tem se alastrado. Na terça-feira, o ministro da Justiça, André Mendonça, foi diagnosticado com a doença. Mendonça é o 13º ministro do Estado a confirmar a infecção. Antes dele, o último tinha sido o da Saúde, Eduardo Pazuello, que chegou a ser internado. Também foram vítimas da doença os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Braga Netto (Casa Civil), Fábio Faria (Comunicações), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Luiz Eduardo (Secretaria de Governo), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Marcelo Álvaro (Turismo), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Cidadania) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União).

ÚLTIMA ESPERANÇA

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou para o plenário virtual da Corte a ação que decidirá se os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP, podem concorrer a reeleição. O julgamento está marcado para começar em 4 de dezembro. Os magistrados vão avaliar a ação apresentada pelo PTB, que alega ser inconstitucional que ambos concorram ao cargo novamente. A Constituição proíbe a reeleição na mesma legislatura. No entanto, o texto não trata dos casos em que a reeleição ocorre em legislaturas diferentes.

FEITO HISTÓRICO

O Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, comandou nesta quinta-feira (26), na sede da B3, a bolsa de valores oficial do Brasil, na cidade de São Paulo, o leilão de concessão de três lotes de rodovias estaduais, totalizando 512,2 quilômetros.  Este foi o segundo maior leilão de rodovias do Brasil, perdendo somente para o Governo de São Paulo, que concedeu 1.273 quilômetros de malha rodoviária. Ao todo, os contratos somam quase R$ 6 bilhões, com uma taxa de retorno de 9,2%. Os investimentos previstos para serem aplicados na melhoria dos três lotes das rodovias ao longo do prazo de concessão são da ordem de R$ 3,341 bilhões.

CHEGA, NÉ

O presidente Jair Bolsonaro declinou a solicitação para que prestasse depoimento no âmbito do inquérito da Polícia Federal que investiga suposta interferência do chefe do Executivo da corporação. O comunicado da Advocacia-Geral da União (AGU) foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), com data do dia 25 de novembro, última quarta-feira. Além de abrir mão de prestar depoimento, ressaltando que o presencial foi o único meio que lhe foi oportunizado, a AGU ainda pediu o “pronto encaminhamento dos autos à Polícia Federal para elaboração de relatório final a ser submetido, ato contínuo, ainda dentro da prorrogação em curso, ao Ministério Público Federal”.

RECADO PRA QUEM?

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil pode crescer de 3% a 4% em 2021 “se não fizer besteira”. Ele volta a demonstrar otimismo sobre a retomada da economia e afirma que avanço de 3% a 4% é uma “previsão conservadora”. “Se fizermos besteira, afunda de novo”, afirmou o ministro, na quarta-feira, em um evento da revista Voto, em São Paulo, acompanhando o presidente da República, Jair Bolsonaro.