Bolsonaro enaltece comércio com árabes e americanos projetam novos investimentos no Brasil

DIPLOMACIA

O presidente Jair Bolsonaro está confiante que a reforma administrativa e tributária caminhe no Congresso Nacional. Tanto que disse a investidores árabes que elas trazem um ambiente seguro mesmo antes da sua aprovação pelo Legislativo. “Países como Emirados Árabes Unidos, Catar e Kuwait, já apresentam expressivos investimentos no Brasil. Essas inversões, tomadas individualmente, variam de US$ 4 bilhões a US$ 5 bilhões. E tenho certeza de que vamos multiplicar esses números”, apontou durante Fórum Econômico.

SÓ EM 2021

A intenção do presidente Jair Bolsonaro deve ficar só na intenção mesmo. É que tão sonhada reforma administrativa só deverá avançar no Congresso em 2021. Segundo a comissão que analisará as propostas, os movimentos de bastidores apontam que nada de conclusivo ocorrerá neste ano. É que deputados e senadores consideram o texto brando demais. Parte dos parlamentares acena para que seja mais rigorosa, com a inclusão dos atuais servidores e de membros de poderes, como magistrados, parlamentares, promotores, procuradores e militares.

EM QUEDA

Pra complicar, a declaração de ânimo ao mercado árabe feita pelo presidente Bolsonaro acorreu no momento em que o mercado financeiro projeta queda de 5% na economia para este ano. A estimativa de recuo do Produto Interno Bruto está no boletim Focus, publicação divulgada toda semana pelo Banco Central. Para o próximo ano, a expectativa de crescimento foi ajustada de 3,50% para 3,47%. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua a projetar expansão de 2,50% do PIB.

DE OLHO

Quem não está nem um pouco preocupado com a queda da atividade econômica no Brasil são os Estados Unidos. Uma delegação americana desembarcou hoje no Brasil para participar de uma série de encontros com o governo federal e representantes do setor privado comercial. O objetivo da visita é a assinatura de um pacote bilateral de acordos visando a desburocratização e aceleração das relações comerciais entre os dois países. Atualmente, a Corporação Financeira dos EUA possui oito projetos ativos no Brasil, totalizando mais de um bilhão de dólares. Há, ainda, outros seis em preparação e que devem, juntos, totalizar U$800 milhões

VACINA FREE

Para alimentar uma nova polêmica no inicio dessa semana, o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que a vacina contra a Covid-19 não será obrigatória no país. No entanto, ele explicou o motivo. “Da nossa parte, quando estiver em condições, depois de aprovada pelo Ministério da Saúde, com comprovação científica e validada pela Anvisa, aí ofereceremos ao Brasil de forma gratuita. Mas repito, não será obrigatória”, concluiu.

SEM RESISTÊNCIA

Depois de amanhã o Senado fará a sabatina ao indicado do presidente Bolsonaro à vaga de Celso de Mello no STF, Kassio Nunes Marques. O que tudo indica, ele não deve encontrar resistência à aprovação de seu nome para a Corte Suprema. Corre pelos bastidores que nem mesmo o currículo com inconsistências deve ser empecilho ao aval dos parlamentares. De acordo com parlamentares que integram a CCJ do Senado, o evento vai servir para que Marques se explique sobre as incongruências no currículo e nada mais do que isso. Ou seja, está aprovado antecipadamente.Eleições 2020

Leia Também:  Anticoagulante reduz em 70% a infecção de células pelo novo coronavírus

EMPODERAMENTO

Brasil tem números espantosos até nas eleições. Em novembro, cerca de 147,9 milhões de eleitores estarão aptos a votar em prefeitos e vereadores. No caso de Mato Grosso, ainda terá eleição suplementar para uma vaga ao Senado. As mulheres somam 77.649.569 eleitores (52,49%) do total. Os homens são 70.228.457 (47,48%). Outras 40.457 pessoas não declararam o gênero. Mulher, com ensino médio e de 35 a 59 anos é o perfil majoritário do eleitor que votará nas eleições de 2020, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Candidato que atacar o gênero feminino na propaganda política já viu né?

FAÇA O FAVOR

Dizem, aqui em Brasília, que o STF fez um favor à nação ao proibir a veiculação das imagens dos agentes da PF retirando a dinheirama das nádegas do senador Chico Rodrigues. A decisão do ministro Luís Roberto Barroso atendeu a um pedido da PF que alegou a “exposição da intimidade” do parlamentar na abordagem. O que não adiantou em nada. A conhecida criatividade do brasileiro para charges e memes se encarregou de escancarar o caso. Na Internet é o assunto mais comentado e a narrativa da abordagem deu elementos para desenhos surreais do senador com a “poupança” de fora. Se essa “poupança” rendesse juros, a soma do dinheiro na cueca já teria ultrapassado os 33 mil reais.