Jair Bolsonaro diz que dará voadora em quem praticar corrupção em seu governo

VOADEIRA NO PESCOÇO

Uma semana após dizer que acabou com a Lava Jato por não haver mais corrupção em seu governo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que, se alguém andar fora da linha em sua gestão, levará “uma voadora no pescoço”. Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que no seu governo só tem gente comprometida com a honestidade, com o futuro do Brasil. “Eu desconheço lobby para criar dificuldade e vender facilidade, não existe”, garantiu.

EXAGEROS

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que houve superdimensionamento da pandemia da Covid-19 no Brasil, em um claro recado à Rede Globo. Apesar da opinião do presidente, o país contabilizou, até esta quarta-feira (14), 150.998 mortes em razão da doença. Bolsonaro também disse que se o governo e empresários tivessem “embarcado na onda do ‘fique em casa’”, a situação estaria ainda pior. Segundo ele, não foi fácil pegar um país numa situação bastante complicada economicamente e, logo em seguida, ser quase nocauteado pela Covid.

CORDA BAMBA

Apesar da confiança do Planalto do Planalto, ainda não está certa a aprovação do nome de Kassio Nunes Marques para a vaga de Celso de Mello no STF. A Comissão de Constituição e Justiça do Senado recebeu hoje o relatório sobre a indicação do novo ministro da Corte Suprema, mas o nome de Kassio ainda enfrenta resistência entre senadores que defendem uma atuação mais firme do Judiciário contra a corrupção. A sabatina de Marques está marcada para o próximo dia 21, na CCJ, e a decisão final caberá ao plenário, onde serão necessários, pelo menos, 41 dos votos dos 81 senadores para a indicação ser confirmada.

SOLTOU PORQUE QUIS

Desde que concedeu Habeas Corpus em favor do traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, um dos líderes do Primeiro Comando Capital (PCC), o ministro do STF, Marco Aurélio Mello tem sido alvo de críticas. Desta vez, foi a vez do relator do pacote anticrime no plenário da Câmara dos Deputados, o deputado federal Lafayette de Andrada (Republicanos-MG) soltar a lenha. Segundo o parlamentar, Marco Aurélio soltou o traficante porque queria soltar. “É convicção dele. Não é a lei. A lei é boa”, afirmou.

IMPEACHMENT DE MELLO

Quem também foi com tudo pra cima de Marco Aurélio Mello foi o líder da Frente Parlamentar da Segurança Pública na Câmara Federal, conhecida como “bancada da bala”, o deputado Capitão Augusto (PL-SP). Ele apresentou ao Senado Federal um pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). No pedido, o deputado diz ser necessária a “apuração e julgamento” da conduta de Marco Aurélio no caso, alegando possível crime de responsabilidade.

DELEGACIA MODELO

No momento em que a Lei Maria da Penha completa 14 anos, chega de Mato Grosso uma notícia que pode se tornar modelo no país. Trata-se da Delegacia 24 Horas da Mulher, que ganhou elogios por parte da primeira-dama Michelle Bolsonaro; da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves; além da própria Maria da Penha, líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres. A primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, liderou a construção do novo espaço que garantiu acolhimento, proteção e justiça às mulheres vítimas da violência na região da Grande Cuiabá.

NA LIDERANÇA

Das nove capitais brasileiras em que há possibilidade de reeleição, seis prefeitos aparecem isolados na liderança nas pesquisas eleitorais. Faltando um mês para a eleição, a opinião pública mostra um cenário favorável aos que tentam mais um mandato. Em Cuiabá, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) se mantém com 38% (das intenções de votos, com o ex-prefeito Roberto França (14,5%) e o vereador Abílio Junior (13,5%) correndo por fora pela segunda colocação de acordo com a pesquisa RDNews. Tudo indica que haverá segundo turno em Cuiabá, mas Pinheiro segue com folga na liderança. Há quem aposte numa virada com Emanuel Pinheiro decidindo em primeiro turno.