Alvos do MPDFT transferiram R$ 123 mi roubados da Saúde para cinco países

 

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e a Polícia Civil do DF (PCDF) deflagraram uma megaoperação na manhã desta quinta-feira (10/9). O objetivo é desarticular fraudes na Secretaria de Saúde do DF envolvendo compras de equipamentos hospitalares feitas em gestões anteriores. A ação foi batizada de Operação Gotemburgo.São cumpridos 46 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás. Na capital federal, há buscas no Lago Norte e em Águas Claras. A operação mobiliza centenas de promotores e policiais.

A investigação é coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPDFT. As determinações judiciais foram expedidas pela 1ª Vara Criminal de Brasília.As informações surgiram a partir da atuação da força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro. Dados do compartilhamento judicial de provas revelaram um esquema criminoso que se estendeu até o Distrito Federal e outras unidades da Federação, especialmente por meio de um suposto comércio de atas de registro de preço cadastradas pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).

Confira os nomes dos alvos:
Rafael Barbosa
Roberto José Bittencourt
Ivan Castelli
Elias Fernando Miziara
José de Moraes Falcão
Flavio Rogério da Matta
Daniel Veras de Melo
Renato Lyrio de Mello
Edcler Carvalho Silva
Miguel Iskin
Gustavo Estelitta
Gaetano Signorini
Marcia de Andrade Oliveira Cunha Travassos
Andreia Estelita Perne
Claudio Albuquerque Haidamus
Mariana Estelita

Com informações do Metrópoles