Para líderes, Tereza Cristina é a melhor ministra; Salles e Ernesto, os piores

Apenas três ministros do presidente Jair Bolsonaro receberam dos líderes do Congresso nota acima de 3, em uma escala de 0 a 5, de acordo com nova rodada do Painel do Poder, ferramenta do Congresso em Foco que indica tendências políticas e o humor de deputados e senadores influentes sobre diversos assuntos das pautas política e econômica.
A ministra da Agricultura, Tereza Cristina (com 3,7), é a mais bem avaliada pelos congressistas ouvidos, seguida pelo titular da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas (3,6), e por Rogério Marinho (3,3), do Desenvolvimento Regional.
Esta é a terceira vez das últimas quatro edições do Painel em que Tereza aparece com a melhor avaliação do ministério. No levantamento anterior, realizado em março, ela havia ficado na segunda colocação, atrás de Tarcisio. Em setembro do ano passado, os dois ficaram empatados.
A nova rodada da pesquisa reforça a imagem negativa, perante as principais lideranças do Congresso, dos ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Ernesto Araújo, das Relações Exteriores. Os dois ficaram na última colocação, com média 2,1, na escala de 0 a 5. Os dois também ficam na lanterna, com a mesma pontuação, na média das quatro edições do Painel em que foram avaliados.
Fonte: Painel do Poder
Produzido com metodologia científica, o Painel do Poder tem grande potencial estratégico para quem deseja desenhar cenários políticos e econômicos de curto, médio e longo prazo. Nesta edição foram ouvidos 71 líderes de bancada, presidentes de comissões, integrantes de mesas diretoras e parlamentares formadores de opinião entre os dias 13 e 18 de julho a respeito de temas legislativos, perspectiva política e análise da atuação do governo e de autoridades.

Como mostrou ontem o Congresso em Foco, líderes na Câmara e no Senado reprovam a atuação do governo Bolsonaro em 12 das 15 áreas temáticas avaliadas . Este é o número dos segmentos que receberam média inferior a 50 pontos, em uma escala de 0 a 100.

Os parlamentares ouvidos na pesquisa aprovam a gestão do Executivo em apenas três áreas: agricultura e pecuária (com 65,3), infraestrutura (60,9) e defesa nacional (53,4), as únicas que superaram a marca dos 50 pontos. Na outra ponta, as áreas com pior avaliação foram o meio ambiente (34) e a educação (29,9).

Painel do Poder é uma ferramenta exclusiva e pioneira no Brasil para estudos legislativos, que usa a técnica de pesquisa por painel. Contempla investigações tanto quantitativas como qualitativas, tomando por base uma amostra de líderes.

A pesquisa antecipou em março de 2019, com grande antecedência, o que terminou ocorrendo com a reforma da Previdência: grandes chances de aprovação, ressalvados os pontos que afinal foram retirados do texto enviado pelo Palácio do Planalto. Também indicou que não havia clima para a aprovação de Eduardo Bolsonaro para o posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos (ele desistiu da disputa por falta de apoio) e a exclusão de pontos do chamado pacote anticrime.

Da Redação com Congresso em Foco