Banco Central: gasto de brasileiros no exterior é o menor em 13 anos

Os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 3,573 bilhões no primeiro semestre deste ano. A informação foi divulgada nesta terça-feira (28) pelo Banco Central.

O valor é o menor para o período desde 2007, ou seja, em 13 anos. Na comparação com os seis primeiros meses de 2019, quando as despesas no exterior totalizaram US$ 8,807 bilhões, a queda foi de 59,4%.

O recuo aconteceu em meio à disparada do dólar e à escalada das tensões acerca do novo coronavírus, que resultou no fechamento de fronteiras e na suspensão de voos por alguns meses.

A moeda norte-americana tem registrado forte alta neste ano por conta da pandemia, com os investidores avaliando o impacto dos pacotes de estímulo contra o fechamento das cadeias de suprimentos globais. No primeiro semestre, o a alta acumulada foi de 35,66% – a maior desde 1999.

Com a disparada do dólar, as viagens de brasileiros ao exterior ficam mais caras. Isso porque as passagens e as despesas com hotéis, por exemplo, são cotadas em moeda estrangeira. O papel moeda também fica mais caro.

Mês de junho

Somente em junho, as despesas de brasileiros no exterior somaram US$ 239 milhões. Na comparação com o mesmo mês de 2019, quando totalizaram US$ 1,524 bilhão, a queda foi de 84,3%. É o menor valor para o mês desde 2003, ou seja, em 17 anos.

Gastos de estrangeiros no Brasil

De acordo com dados do BC, em junho deste ano os estrangeiros gastaram US$ 167 milhões no Brasil, com queda frente ao patamar registrado no mesmo mês de 2019 (US$ 374 milhões).

No primeiro semestre de 2020, as despesas de estrangeiros no Brasil somaram US$ 1,839 bilhão, com recuo frente ao mesmo período do ano passado – quando totalizaram US$ 3,076 bilhões.

Para estimular o turismo no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro assinou no começo do ano um decreto para dispensar o visto de visita para turistas de Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão que viajarem ao Brasil.

Com Assessoria