Mourão diz que o Conselho da Amazônia atrairá investimentos estrangeiros para o Brasil

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse “não ter dúvidas” de que a criação do Conselho da Amazônia ajudará a atrair investimentos estrangeiros para o Brasil.

Na avaliação do general, que comandará o órgão, a criação do conselho é o reconhecimento do presidente Jair Bolsonaro de que o meio ambiente é uma questão “transversal”. “Não tenho dúvidas, ajuda na economia. O problema do meio ambiente é transversal – saúde, defesa, educação – e a conclusão do presidente, com a criação do conselho, reconhece a importância do tema. E designando o vice-presidente para coordenar os trabalhos. Caso contrário, colocaria um ‘Zé Bombinha’ qualquer”, disse Mourão.

Bolsonaro anunciou a criação do conselho e da Força Nacional Ambiental na terça-feira (21) após o governo brasileiro ser alvo de críticas, inclusive internacionais, pela atuação na área ambiental. Questionado sobre qual o prazo para o início das ações do conselho, Mourão afirmou que pretende “ter iniciativas andando até março”.

“Terei representantes dos ministérios, darei prazos para responder diretrizes. Pretendo ter iniciativas andando em março. Vamos analisar do ponto de vista orçamentário também, no caso da Força Nacional Ambiental, é mais uma questão de passagens e diárias. Tudo isso vamos levantar para integrar os trabalhos”, completou. As declarações do gaúcho foram dadas para o blog da jornalista Andréia Sadi.

Conforme o governo, o conselho visa coordenar ações nos ministérios com foco na proteção, defesa e desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Da Redação