Mercado financeiro reduz estimativa de inflação e prevê alta maior do PIB brasileiro neste ano

O mercado financeiro reduziu a sua estimativa de inflação para este ano e passou a projetar um crescimento um pouco maior do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, segundo o Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (20) pelo BC (Banco Central).

Os economistas diminuíram a sua projeção para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 3,58% para 3,56%. Essa foi a terceira queda consecutiva. A expectativa segue abaixo da meta central de inflação, de 4%. O intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,5% a 5,5%.

Para 2021, o mercado financeiro manteve a estimativa de inflação em 3,75%. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,75% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2,25% a 5,25%.

PIB

O mercado financeiro elevou a previsão de crescimento para a economia brasileira em 2020 de 2,30% para 2,31%. Para o próximo ano, a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) permaneceu em 2,50%.

Taxa de juros e dólar

Os economistas mantiveram a previsão para a Selic no fim de 2020 em 4,5% ao ano. Atualmente, a taxa básica  de juros já está nesse patamar. Para o fechamento de 2021, a expectativa do mercado para a Selic permaneceu estável em 6,25% ao ano.

A projeção para a taxa de câmbio no fim de 2020 subiu de R$ 4,04 para R$ 4,05 por dólar. Para o fechamento de 2021, continuou em R$ 4 por dólar.

Por Agencia Brasil