INVESTIGAÇÃO: Marielle/Bolsonaro não dá para derrubar o governo, mas perturba, diz Mourão. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira(30)

ESCÂNDALO

O noticiário nacional está recheado de ruídos fortes, após a divulgação  do depoimento de porteiro que cita o presidente Jair Bolsonaro (PSL) em investigação sobre a assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL). para o presidente em exercício, Hamilton Mourão o fato não tem poder de derrubar o governo, mas causa perturbação. “Não dá pra derrubar o governo dessa forma, mas que perturba o andamento do serviço, como se diz na linguagem militar, perturba”, declarou

MUITO ALARDE

Mourão  considerou o depoimento muito fraco. “Acho que não era o caso de ter feito escândalo todo que foi feito”, afirmou. Para Mourão, a reação do presidente Bolsonaro foi proporcional à notícia vinculando seu nome às investigações sobre a morte de Marielle. “Quando a pessoa é atingida de forma desleal, e sabe muito bem que não tem nada a ver com o processo, a pessoa se sente triste. Sente-se enraivecida. Acho que o presidente reagiu com bastante calma até.”

ABALADO

”O presidente Jair Bolsonaro criticou severamente na madrugada desta quarta-feira a TV Globo por publicar uma matéria no Jornal Nacional envolvendo seu nome na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco em 2018, no Rio de Janeiro.Muito exaltado  o presidente fez uma transmissão ao vivo no Facebook sobre a reportagem da Globo que cita o controle de visitas do condomínio Vivendas da Barra, no Rio, onde Bolsonaro e o ex-policial militar Ronnie Lessa têm casa.Lessa é acusado da morte da vereadora do PSOL.

ALTERAÇÕES

Nesta quarta-feira (30), os deputados do grupo de trabalho que analisam o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, vão propor 23 alterações na Lei das Delações. O texto diz que delação não pode ser usada como prova e desobriga o réu que quiser colaborar de confessar todos os crimes que cometeu.As modificações, que não estão na proposta original de Moro, Hoje será  o último dia previsto para discussão do pacote.

 TENTATIVA
Vale destacar que com sucessivas derrotas no grupo de trabalho que analisa a proposta, Moro vai tentar salvar o seu pacote anticrime no Plenário da Câmara, onde tenta emplacar um relator “amigo”, favorável às suas ideias.

OPINIÃO DE MAIA

Em entrevista à Globonews, o  presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que não vê nem ativismo do Supremo Tribunal Federal (STF) nem leniência do Congresso na discussão da prisão em segunda instância. Ele ainda acrescentou que, na sua visão, o projeto apresentado pelo presidente do STF, Dias Toffoli, que trata da suspensão da prescrição dos processos a partir da segunda instância, liquida de 70% a 80% da polêmica nesse tema“É nisso que Câmara e Senado devem organizar sua pauta legislativa, sem enfrentamento ao Supremo.

ESTUDOS

Fontes palacianas garantem que o governo  estuda até a quebra do monopólio da Petrobras na venda do querosene de aviação como forma de reduzir os custos para as empresas aéreas. A iniciativa pretende atrair estrangeiras para ampliar rotas e derrubar o preço das passagens no País

DESAFIOS

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, o projeto de lei do Senado que criminaliza desafios, como o jogo da Baleia Azul, que podem estar relacionados a suicídios ou automutilação de crianças e adolescentes. Como o texto passou por alterações, ele deve ser votado novamente no Senado

MAPA

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou hoje (30) um mapa que traz as representações dos seis grandes biomas continentais brasileiros. Como novidade, o mapa mostra também as delimitações do sistema costeiro-marinho brasileiro, com o limite do mar territorial do país, e a escala de representação, de 1:250.000, que é 20 vezes maior do que a do mapa anterior.