LINHA DURA: Sérgio Moro lança campanha para pacote anticrime: ‘Tempos sem lei e sem justiça chegaram ao final. Confira outras informações na coluna JPM desta quinta-feira (3)

PACOTÃO
Agora é para valer!  No Palácio do Planalto,  o  ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, lançou na manhã desta quinta-feira (3)  a campanha publicitária do pacote anticrime – apresentado ao Congresso por ele. No pacote estão inclusos três Projetos de Lei que tratam do combate ao crime organizado e a corrupção.
AÇÕES
Ao lançar a campanha,Moro afirmou que “ações executivas são importantes, mas mudanças legislativas são fundamentais para que, não só o Governo, mas também o Congresso, possam mandar uma mensagem para a sociedade de que os tempos do Brasil sem lei e sem justiça chegaram ao final.”

SEM IMPOSIÇÃO

Jair Bolsonaro também falou aos presentes e afirmou que “ninguém que impor nada”, mas que “quer mudar a legislação para que ela seja temida pelos marginais, não pelos cidadãos de bem”. “Esse é o espirito da Lei, é o objetivo do lançamento da propaganda do pacote anticrime. É isso que o brasil precisa!”, completou.

.JULGAMENTO ADIADO

Previsto para concorrer nesta quinta-feira  (3). o Supremo Tribunal Federal (STF) adiou, sem prazo, a definição da tese que deve servir de parâmetro para os tribunais de todo o país sobre a ordem de apresentação de alegações finais em ações penais que envolvam réu delator. O julgamento, que tem implicação direta na Lava Jato.

PREVIDÊNCIA ADIADA

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre,  garantiu que a votação do segundo turno da reforma da Previdência pode ficar para a segunda quinzena de outubro. Inicialmente, a expectativa do parlamentar era que a votação da matéria fosse concluída até o dia 10. “Se alguns senadores compreenderem que não é razoável quebrar o interstício – mesmo minha posição atual e de vários outros líderes sendo favoráveis à quebra –, para a gente resolver a votação em segundo turno desta matéria, a gente vai ter que adiar da semana que vem para a próxima semana.

COM LIMITES

O projeto de lei que prevê o uso de limites de gastos da campanha de 2016 corrigidos pelo IPCA, para as eleições municipais de 2020, também foi aprovado no Senado. Agora, o texto segue para ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro para passar a valer.

LISTA DE JANOT

O ruído esta forte  nos bastidores . Políticos citados no livro do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot pretendem acioná-lo na Justiça. Depois de incluídos na famosa “lista do Janot”, foram inocentados no âmbito das investigações da Operação Lava-Jato.

ALVOROÇO

Ainda sem ser lançado, mas vazado pelas rede sociais,  no  livro “Nada Menos que Tudo”, Janot narra bastidores da investigação e revela episódios sobre políticos envolvidos em enredos de corrupção. Nos últimos três anos, pelo menos 30 políticos acusados em delações da Lava-Jato tiveram as investigações contra eles suspensas ou arquivadas nos tribunais superiores.

SERA?

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse em entrevista à GloboNews  disse que que nunca foi bolsonarista e que apenas “incorporou” o slogan “BolsoDoria” na eleição de 2018, na qual chegou a usar camisetas no 2º turno pedindo votos também para o então candidato Jair Bolsonaro.

ASPAS DE DÒRIA

“Nunca fui bolsonarista. O ‘Bolsodoria’ não fui eu criei. Esse movimento nasceu no interior de São Paulo, mas eu incorporei. Eu jamais votaria no Fernando Haddad (PT, adversário de Bolsonaro no 2º turno). Naquelas circunstâncias, uma eleição em que eu enfrentava todos os partidos de esquerda e até parte do meu partido, com Bolsonaro contra essa esquerda, qual era meu caminho?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *