ALERTA DE BOLSONARO: Não há ‘plano B’ e, se não fizer a reforma, o Brasil  quebra em 2 anos. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira (2)

RECADO

O Palácio  do Planalto acompanha todos os detalhes  do processo de votação da reforma da Previdência no Senado Federal . Para o presidente  Jair Bolsonaro, não tem plano B” sem a reforma da Previdência “É um sinal de que estamos fazendo dever de casa. Não tem ano B, nem pra mim, nem pra ninguém”, disse na manha desta quarta-feira.
DEVER DE CASA
O presidente fez questão de declarar que  “outros governos tentaram e não conseguiram fazer a reforma, essa é a realidade  que “a reforma da Previdência é necessária e, se não fizer, o Brasil quebra em dois anos”. Para o presidente, aprovar o texto “é um sinal de que estamos fazendo o dever de casa”.Bolsonaro não falou, no entanto, sobre o destaque aprovado na noite de terça-feira que retirou recursos da reforma.

TRAIDORES DO PLANALTO

Treze senadores que apoiaram o texto-base da reforma da Previdência traíram o governo e ajudaram a derrubar a mudança no abono salarial no plenário do Senado, A equipe econômica precisava reunir 49 votos a favor da alteração que restringiria o pagamento do benefício, mas o placar ficou em 42 a 30.

MAIS INFIÉIS

A lista de infiéis inclui senadores que costumam votar alinhados ao governo, como Dario Berger (MDB-SC) e Esperidião Amin (PP-SC). Líder da maior bancada do Senado, Eduardo Braga (MDB-AM) também virou o voto para ajudar a derrubar a mudança no abono.

NOVIDADE

O procurador-geral da República, Augusto Aras, toma posse nesta quarta-feira, 2, para um mandato de dois anos.Ele  defendendo o aprofundamento das investigações sobre o ataque sofrido pelo presidente Jair Bolsonaro, no ano passado, por acreditar que Adélio Bispo de Oliveira não agiu como um “lobo solitário” ao dar uma facada no então candidato do PSL.

ASPAS

“Ainda é tempo de buscar a verdade real do atentado”, disse Aras ao Estado, reproduzindo o discurso do próprio presidente, que o indicou ao cargo. O procurador-geral toma posse nesta quarta-feira, 2, para um mandato de dois anos.

LIMITE DE GASTOS

A Câmara aprovou, o texto principal do projeto de lei que limita os gastos para candidatos a prefeito e a vereador, em 2020, e também restringe o valor do autofinanciamento para as campanhas municipais. A proposta não detalha valores, mas prevê que o teto de despesas seja equivalente ao das eleições de 2016, corrigidos pela inflação (IPCA).

OBSERVAÇÃO

O projeto aprovado nesta terça pela Câmara, porém, ainda precisa passar pelo crivo do Senado e ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser transformado em lei.

SUPREMO

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou recentemente que a Corte deve limitar o efeito da decisão que pode anular condenações impostas pela Operação Lava Jato.  O tema será retomado na sessão desta quarta-feira, 2, do Supremo.Segundo o ministro, já há maioria para limitar o alcance da decisão apenas a réus que tiveram negado, ainda na primeira instância da Justiça, o pedido para falar por último nas ações em que também há réus delatores.

FACILIDADE

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou ,mais um decreto que regulamenta o acesso a armas de fogo e produtos controlados pelo Comando do Exército. Entre as principais mudanças, policiais e militares não precisam mais passar por exames para renovar autorização de armas pessoais, acessórios antes proibidos foram liberados e se estabeleceu comunicação obrigatória de perda, furto, roubo ou extravio de armas em até 72 horas.

 

ECONOMIA

Uma medida provisória assinada pelo governo traz novidades de interesse para o agronegócio. De acordo com o subsecretário de Política Agrícola do Ministério da Economia, Rogério Boueri, a MP vai possibilitar a alocação de R$ 5 bilhões a mais de crédito rural para o setor. A MP complementa medidas previstas no Plano Safra 2019/2020, anunciado em junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *