ALERTA: Ministro da Economia diz  que renuncia se reforma da Previdência virar ‘reforminha’. Confira outras informacoes na coluna JPM desta sexta-feira(24)

AVALIAÇÃO DA OPOSIÇÃO
Dirigentes dos cinco principais partidos de oposição – PT, PSB, PCdoB, PDT e PSOL -avaliaram que não é o momento de pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Segundo eles não existe motivo formal para o afastamento, apesar do desgaste sofrido pelo governo em apensas cinco meses de gestão.”Não é hora de tomarmos nenhuma iniciativa neste sentido. O terreno é o da luta política com mobilizações e ações conjuntas no Congresso”, disse o presidente do PSOL, Juliano Medeiros.

PESQUISA

A avaliação negativa do governo do presidente Jair Bolsonaro subiu 5 pontos e atingiu 36%, ficando pela primeira vez numericamente à frente da avaliação positiva, que oscilou 1 ponto para baixo e atingiu 34%, apontou pesquisa XP/Ipespe nesta sexta-feira.Segundo a pesquisa, a avaliação negativa do governo de Bolsonaro cresce desde fevereiro, quando estava em 17 por cento. Já a avaliação positiva tem recuado, em fevereiro era de 40 por cento.

 

 

APOIO EMPRESARIAL

Deu no noticiário nacional que o Instituto Brasil 200, movimento de empresários liderado por Flávio Rocha, dono da varejista Riachuelo, decidiu apoiar publicamente as manifestações programadas para o domingo (26).O grupo, que reúne nomes do empresariado simpáticos ao governo Jair Bolsonaro, como Luciano Hang (dono da Havan) e João Appolinário (Polishop), estava reticente em incentivar a adesão aos atos no início, mas mudou de posição, afirmou Gabriel Rocha Kanner, que é presidente do Brasil 200.”Estávamos contrários porque a manifestação surgiu de forma nebulosa, com pautas com ataques às instituições e a favor do fechamento do Congresso. Somos contrários à tese revolucionária. Acreditamos que as mudanças têm de ser feitas pelas instituições”, afirmou.

OFENSA RENTÁVEL

A juíza Tatiana Dias da Silva Medina, da 18ª Vara Cível de Brasília, fixou um prazo de 15 dias para que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) pague R$ 10 mil por ofensas disparadas contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). O presidente também terá de se retratar em um jornal de grande circulação e nas redes sociais.O episódio foi explorado contra Bolsonaro na última campanha presidencial. Em 2014, Bolsonaro disse que não “estupraria” Maria do Rosário pois ela não mereceria, “porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria”. “Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece.”

SEM ARMAS

O arcebispo de Belo Horizonte, d. Walmor Oliveira de Azevedo, tem afirmado por onde circula,  que o “caminho da paz” não será construído “pela força das armas”, mas pelo diálogo e pela educação. “Tememos o que pode acontecer numa sociedade cheia de polarizações”, disse, sobre o decreto presidencial que flexibilizou a posse e o porte de armas.

CASAMENTO BADALADO

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) e sua noiva, Heloísa Wolf, vão se casar sábado (25/5), no Rio de Janeiro. A cerimônia está marcada para o horário do pôr do sol e acontecerá ao ar livre, nos jardins de uma casa de festas em Santa Teresa, historicamente, um reduto da esquerda.

 

 

MAIS TURISTAS

O presidente do Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Gilson Machado Guimarães,garantiu que a emissão de passagens para o Brasil vinda de turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália aumentou em 52% desde março, mês em que o governo isentou essas nações do visto de turismo e negócios.

ARRECADAÇÃO

Nesta sexta-feira, o  Impostômetro atinge hoje 1 trilhão de reais com 11 dias de antecedência em relação ao ano passado. O valor corresponde ao total de impostos, contribuições e taxas pagas pelos brasileiros desde 1º de janeiro deste ano nas três esferas de governo: municipal, estadual e federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *