SEGURANÇA: Ministro da Justiça ordena emprego da Força Nacional de Segurança na Esplanada dos Ministérios. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira(17)

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, por meio de portaria publicada hoje, autoriza o emprego da Força Nacional de Segurança Pública para conter manifestações na Praça dos Três Poderes e na Esplanada dos Ministérios, como garantia de preservação da integridade física das pessoas, do patrimônio público e dos prédios da União. O prazo para validade da medida é de 33 dias a contar a partir de hoje (17/04).Moro registra que o pedido partiu do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, que dará apoio logístico à operação.

MINISTROS DO STF NA MIRA

Indignado,  o senador Alessandro Vieira (PPS-SE) protocolará pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal.Em entrevista , o senador disse que os pedidos serão apresentados ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e que a “motivação é evidente”. Entre os motivos, ele citou a instalação de inquérito que apurará críticas aos ministros, a censura à imprensa, os mandados de busca e apreensão e bloqueio até mesmo de redes sociais de civis.“São os mais altos magistrados do Brasil usando sua posição para impor censura e evitar críticas (…) Hoje, em postura autoritária, alguns ministros do Supremo se colocam acima da lei e isso precisa mudar”, disse

 

MINISTROS ISOLADOS

Fontes políticas  estão confirmando que o  inquérito encampado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e seu relator, o ministro Alexandre de Moraes, acabou por desencadear um fenômeno raro nos dias atuais. Colocou, do mesmo lado da mesa, o Palácio do Planalto, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Procuradoria-Geral da República (PGR), integrantes do Congresso Nacional e a cúpula dos militares, isolando Toffoli e Moraes,

 

PODER APREENSIVO

A decisão do presidente da República, Jair Bolsonaro, de convocar 1 mil policiais federais aprovados em concurso público no ano passado deixou a equipe econômica do governo federal surpresa e apreensiva, de acordo com .No Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, a iniciativa foi vista como uma “fissura” na estratégia de contenção de gastos do Executivo.

DADOS DA PF

Segundo informações da Diretoria de Gestão de Pessoal da Polícia Federal, 4.821 cargos estão vagos. São 2.464 cargos de agente, 690 de delegado, 984 de escrivães, 130 de papiloscopistas, 134 de peritos criminais e 419 de planos especiais.

 

 

 

INDIRETA CERTEIRA

Na presença do presidente jair Bolsonaro,, o comandante da Força, general Edson Pujol, em ordem do dia alusiva ao Dia do Exército cita as dificuldades orçamentárias, salariais e de meios para executar suas funções e responde aos que tentam atacar a instituição.”Àqueles que não percebem a relevância dessa trajetória, e que hoje tentam macular a imagem e a coesão do invencível Exército de Caxias, responderemos com mais trabalho, dedicação, transparência, gestão eficiente dos recursos públicos e com uma conduta exemplar, sempre amparada nos parâmetros legais”.

PODEROSA

De  férias nos Estados Unidos  a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enfrentou seu momento mais tenso no cargo  ao decidir  pelo arquivamento de inquérito aberto para apurar ofensas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e a anulação de todos os atos praticados no âmbito da investigação, como buscas e apreensões e a censura a sites. decisão que deixou o Supremo Tribunal Federal em suspense por cerca de quatro horas .Mesmo em recesso, a procuradora-geral da República tem a prerrogativa de responder em qualquer situação

 

MAIS TUMULTO

Discursos polêmicos e reações inesperadas por parte dos parlamentares, já fazem parte da rotina da Câmara dos Deputados. Em uma sessão tumultuada, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ)  está reunida nesta quarta-feira (17), desde as 10h50, para votar o parecer da proposta de emenda à Constituição da reforma da Previdência (PEC 6/19), do deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG).

DEBATE

Líderes da Câmara dos Deputados já discutem mudar o salário mínimo de R$ 1.040 proposto pelo governo Jair Bolsonaro para vigorar em 2020. O valor, incluído no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), não garante um ganho real (acima da inflação) para os trabalhadores e repercutiu negativamente no Congresso.

 

PERSONALIDADE

Indicado pela revista norte-americana Time como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo em 2019, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, recebeu tratamento ambíguo no texto de perfil publicado nesta Terça-feira pela publicação norte-americana.“Ele representa um forte corte nos elevados níveis de corrupção da última década e a melhor chance em uma geração para o Brasil avançar em reformas que podem domar o endividamento crescente”, inicia o texto, assinado por Ian Bremmer, presidente da consultoria de risco político Eurasia e editor da revista.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *