Bolsonaro deve visitar países árabes no primeiro semestre deste ano, diz ministro

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou nesta quinta-feira (4) que o Itamaraty está elaborando uma agenda de visitas do presidente Jair Bolsonaro a países árabes ainda no primeiro semestre deste ano. Araújo, entretanto, não citou quais países serão incluídos no roteiro de visitas oficiais.

Aliado de Israel, Bolsonaro gerou um desconforto com nações árabes nesta semana ao decidir abrir um escritório comercial em Jerusalém, cidade considerada sagrada por cristãos, judeus e muçulmanos e que não é reconhecida internacionalmente como capital israelense.

A instalação do escritório foi um recuo da intenção inicial do presidente da República de transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. Bolsonaro desistiu de trocar a chancelaria de endereço após alas militares do governo, ruralistas e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, alertarem que a medida poderia desencadear retaliações comerciais de países árabes, importantes compradores de carne brasileira.

“Estamos definindo um programa. Nos próximos dias, se tudo der certo, vamos definir um programa de visitas do presidente aos países árabes. Tentaremos fazer no primeiro semestre. Países que sejam nossos principais parceiros, para começar. Depois, iremos a outros. Vamos definir isso brevemente. Grandes parceiros comerciais e que sejam polos importantes de comércio”, declarou o ministro ao final de uma audiência pública no Senado.

Ernesto Araújo foi à Comissão de Relações Exteriores da casa legislativa para discutir os rumos da política externa brasileira. Na audiência, ele afirmou aos senadores que tem “certeza” de que a aproximação do governo Bolsonaro com Israel não gerará prejuízos ao agronegócio brasileiro.

O desconforto dos países árabes foi confirmado nesta quarta-feira (3) pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Ela disse que se reunirá com 51 embaixadores dessas nações, no próximo dia 10, como forma de apaziguar os ânimos na área econômica.

Questionado nesta quinta sobre o assunto, Ernesto Araújo disse que há novas parcerias em andamento com o mundo árabe – inclusive, na agricultura e na pecuária.

“O chanceler dos Emirados Árabes Unidos já discutiu uma ideia que ele mesmo apresentou, e que nós vamos procurar desenvolver, de melhor utilizar o hub de distribuição excepcional, que eles possuem, para melhor acesso ao mercado da Índia de produtos alimentícios. […] em benefício, é claro, do agronegócio brasileiro”, afirmou o chanceler.

Da Redação com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *