ELEIÇÕES NO CONGRESSO: Articulação nos bastidores movimenta política em Brasília. Confira outras informações nas coluna JPM desta segunda-feira(28)

DISPUTA ACIRRADA

A semana começa agitada  na capital do país, com a  disputa pela presidência da Câmara dos Deputados e do Senado marcada para sexta-feira(1). Estão em jogo  não somente   os cargos de comando da Mesa Diretora mas  um vasto número de vagas à disposição para abrigar indicações de aliados. Os parlamentares  podem empregar, além dos servidores concursados, 682 cargos de confiança (485 na Câmara e 197 no Senado) com salários que variam de R$ 2,5 mil a R$ 19,9 mil.Segundo levantamento da coordenação de registro funcional da Câmara, somente o gabinete do presidente da Casa tem direito a 82 CNEs (cargos de natureza especial), que são aqueles postos que dispensam a realização de concursos públicos – ou seja, o deputado emprega quem ele quiser.

 

ELEIÇÃO CONGRESSO

Marcada para a próxima sexta-feira (1) as eleições na Câmara dos Deputados e Senado servirão para mostrar o apelo de nomes-chaves para os partidos políticos dentro das Casas. Com o pleito mais definido dentro da Câmara, a escolha do líder do Senado deverá movimentar ainda mais a semana dos parlamentares.A expectativa de analistas e consultores políticos é de intensa movimentação entre partidos, que buscarão alianças de última hora e usarão candidaturas pré-firmadas como forma de barganha com as legendas maiores. “Se você lança o nome, mesmo sabendo que não tem chances de ganhar, você consegue usar isso para oferecer a outro partido a retirada da candidatura em troca de cargos na mesa diretora”, diz o doutor em gestão de políticas públicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Carlos Maia

 

CIRURGIA DE BOLSONARO

O presidente Jair Bolsonaro foi  operado no início da manhã desta segunda-feira (28) no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A cirurgia é necessária para retirar a bolsa de colostomia e para religar o trânsito intestinal de Bolsonaro.O procedimento começou por volta de 6h30min, segundo a assessoria de imprensa da Presidência. A previsão é de que a cirurgia dure três horas e a recuperação dez dias. A cirurgia é comandada pelo gastroenterologista Antonio Luiz Macedo.

MOURÃO NA PRESIDÊNCIA

Pela segunda vez, e por  48 horas, a partir de hoje, o vice-presidente, Hamilton Mourão, assume o exercício da Presidência da República, durante a recuperação do presidente Jair Bolsonaro, da cirurgia para a reconstrução do transito intestinal . Mourão deverá conduzir, nesta terça-feira (29/1), a reunião ministerial.

PROMESSA DE MARCEL

Em plena campanha, o Candidato à presidência da Câmara aos 33 anos, o deputado eleito Marcel Van Hattem (Novo-RS) quer fazer a diferença e  promover uma reforma estrutural na Casa. Entre suas propostas.Ele já anunciou que defende colocar à venda, de forma gradativa, os apartamentos funcionais destinados aos parlamentares. Também é contra o aumento de salário para os parlamentares. “Não queremos os votos dos deputados que estão aqui pelo salário. Queremos dos deputados que estão aqui porque têm uma vocação de servir o povo brasileiro” argumenta.

 

PSL DIVIDIDO

 O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, vive uma fase de disputas internas que dividem integrantes da segunda maior bancada da Câmara, a uma semana da eleição e da posse da nova direção da Casa. A divisão dos cargos de comando na Câmara é o novo foco de atrito, além de desavenças que marcam o relacionamento na bancada desde a campanha eleitoral do ano passado

INFLAÇÃO

analistas das instituições financeiras baixaram a estimativa de inflação para este ano, e também passaram a prever uma alta menor do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019.As previsões constam no boletim de mercado, também conhecido como relatório “Focus”, divulgado nesta segunda-feira (28) pelo Banco Central (BC). O relatório é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras

 GABINETE DE CRISE
A reunião sob o comando do ministro da Casa Civil, Lorenzoni, do gabinete de crise criado para acompanhar a situação em Brumadinho, onde ocorreu o rompimento de uma barragem, foi realizada no Palácio do Planalto..Além de Onyx, outros cinco ministros participam desse segundo encontro do grupo, no Palácio do Planalto: Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral), general Santos Cruz (Secretaria de Governo), Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), almirante Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Fernando Azevedo (Defesa). A primeira reunião do comitê ocorreu um dia depois do rompimento da barragem
 

BILHÕES BLOQUEADOS

Após a tragédia do rompimento de uma barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), na sexta-feira (25), que deixou pelo menos 58 mortos, a mineradora Vale, responsável pela barragem, enviou um fato relevante para a Bolsa de Valores de São Paulo. Os comunicados ao mercado financeiro foram feitos após reunião extraordinária do Conselho Adminstrativo da empresa.A empresa  informa sobre a decisão da Justiça de bloquear bens da mineradora no valor total de R$11 bilhões, além de determinar que a Vale “adote as medidas necessárias para garantir a estabilidade da barragem VI do Complexo Mina do Córrego do Feijão, se responsabilize pelo acolhimento e integral assistência às pessoas atingidas”, dentre outras obrigações,

 

PALAVRA DA PROCURADA

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse em SP que executivos da Vale também podem ser penalizados pela tragédia em Brumadinho.“Em primeiro lugar devemos tratar da responsabilidade do tocante à indenização das famílias”, disse. “As famílias estão muito preocupadas com os entes queridos, é preciso localizá-los, dar certeza sobre o paradeiro de cada um, mas é preciso também que elas tenham algum tipo de socorro. Muitos perderam o modo de trabalho, o modo de financiamento de suas vidas. Mas também é preciso ter uma responsabilidade séria do ponto de vista indenizatório da empresa que deu causa a este desastre e também promover a persecução penal de pessoas e indivíduos, que precisam ser responsabilizados por esta falha.”

 

ROBÔS EM AÇÃO

A possibilidade de ser trocado por um robô ou um programa de computador põe em risco 54% dos empregos formais no Brasil, aponta um estudo inédito feito pelo Laboratório de Aprendizado de Máquina em Finanças e Organizações da UnB (Universidade de Brasília).Até 2026, seriam fechadas 30 milhões de vagas com carteira assinada se todas as empresas decidissem substituir trabalhadores humanos pela tecnologia já disponível – o número leva em conta a tendência de contratações para as ocupações mais ameaçadas.

FRASE DO DIA

“O PSL é um partido que vai se moldar a partir de agora. Ele se formou com ativistas de toda sorte e políticos vindo de vários partidos”, afirmou  o deputado federal e senador eleito Major Olímpio, presidente do PSL em São Paulo  sobre os conflitos internos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *