Dias decisivos: Temer e aliados aceleram negociações para nova Previdência

Empenhado em conseguir os 308 votos necessários para aprovar a reforma da Previdência ainda neste ano, o presidente Michel Temer passou o fim de semana envolvido em negociações para melhorar o cenário de votos a favor da proposta de emenda constitucional (PEC), que volta a ser discutida na Câmara na quinta-feira. Até a confirmação do deputado Carlos Marun (PMDB-MS) como ministro da Secretaria de Governo, acreditam aliados, faz parte da estratégia do Planalto para conseguir o apoio necessário para a aprovação do texto.

Em Buenos Aires, onde esteve ontem para a 11ª Reunião Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), para conclusão do acordo entre Mercosul e União Europeia, Temer afirmou que trabalha em “ambiciosa agenda para a modernização do Brasil, o que envolve, necessariamente, maior e melhor inserção na economia global”. O presidente disse ainda que “o Brasil de hoje deixou para trás a recessão. Nossa economia se recupera, cria postos de trabalho… A produção industrial tem crescido. As taxas de juros recuaram a seu menor patamar histórico, a inflação é a mais baixa em muitos anos”.

Após o encontro, em coletiva, Temer falou que a reforma da Previdência vai muito bem. “Fecharam questão já o PMDB, o PTB, o PPS. Hoje falei com os presidentes do PP, do PSD e PRB. Estão todos entusiasmados com o fechamento de questão.” “Nós vamos encerrar a discussão ainda neste ano. E esta matéria da Previdência não vai parar. Se não for este ano, será no início do ano que vem”, completou.

Com informações do Correio Braziliense.