Polícia deflagra operação contra ex-secretários do governo Rosso

Um esquema que desviou R$ 2,5 milhões dos cofres do Governo do Distrito Federal, em 2010, foi desvendado na madrugada desta quarta-feira (18/10). As polícias Civil de Goiás e do Distrito Federal investigam um secretário, um subsecretário e um ex-presidente do Fundo de Apoio à Pesquisa (FAP/DF). À época, o GDF estava sob o comando de Rogério Rosso (PSD), hoje deputado federal.

Rosso havia sido nomeado governador tampão da capital federal. Até o momento, ninguém foi preso. As duas polícias cumpriram sete mandados de busca e apreensão, um deles em Goiânia e dois em Luziânia, município goiano distante cerca de 53km do Plano Piloto. A operação conjunta recebeu o nome de Campo Novo, pois um dos investigados teria usado o dinheiro desviado para visitar o estádio Camp Nou, em Barcelona.

Investigadores de Goiás e do DF descobriram que um convênio firmado entre o FAP/DF e o Instituto de Estudos e Projetos de Interesse Social (IEPIS) escondia um esquema de desvio de dinheiro público para três empresas privadas. Segundo a Polícia Civil, o objetivo do investimento sequer foi cumprido. Os R$ 2,5 milhões desviados, inclusive, sumiram das contas em que foram desviados menos de um mês após o pagamento.

Com informações do Correio Braziliense. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *