Queda dos juros para 8,25% é dada como certa pelo Banco Central

O corte de um ponto percentual na taxa básica de juros (Selic) na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa amanhã e termina na quarta-feira, já é amplamente esperado pelo mercado. Com a decisão, os juros cairão para 8,25% ao ano, o nível mais baixo desde maio de 2013. Entretanto, há dúvidas sobre como os diretores do Banco Central (BC) se comportarão nos dois últimos encontros, em outubro e dezembro. A maioria dos analistas avalia que a Selic terminará o 2017 entre 7,5% e 7% ao ano. Mas, reservadamente, têm demonstrado preocupação com a sustentabilidade desse processo, diante da falta de reformas, como a da Previdência. Alheios ao debate, consumidores reclamam que os empréstimos continuam caros e os bancos mantêm a restrito o acesso ao crédito.

O temor do mercado, mesmo que negado por boa parte dos economistas, está claro na curva futura de juros, que sobe há dois meses. Na prática, o indicador sinaliza que os investidores esperam juros mais altos a longo prazo. As apostas levam em consideração, basicamente, dois fatores: a aprovação da reforma da Previdência e a eleição de 2018.

Considerada essencial para o reequilíbrio das contas públicas a longo prazo, a possibilidade de votação das mudanças na aposentadoria diminui na medida em que o governo terá de concentrar esforços para barrar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer.

Com informações do Correio Braziliense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *