Aos olhos de Chico

Os olhos continuam cintilantes e ele segue produzindo gemas do cancioneiro popular brasileiro. Mas Chico Buarque de Holanda já não goza, aos 73 anos, da unanimidade de tempos passados. Ídolo da resistência à ditadura dos anos 1960 aos 1980, ele passou a ser questionado e até ofendido na rua por gente que não concorda com seu esquerdismo sobranceiro e postura de artista intocável. Seu último trunfo parece ter ruído em 28 de julho, quando postou nas redes sociais uma faixa do álbum “Caravanas”, que acaba de ser lançado: a canção “Tua cantiga”, em parceria com o maestro Cristóvão Bastos. Seus versos foram achincalhados por grupos de jovens militantes feministas. Mais radicais que suas mães e avós fãs de Chico, as mocinhas passaram a discutir no Facebook e no Twitter o conteúdo ideológico da letra e a chamar Chico Buarque de machista.

A canção traz a declaração de um homem apaixonado pela amante. Em nome desse amor, ele se diz capaz de abandonar tudo por ela, inclusive esposa e filhos. “Quando teu coração suplicar/ Ou quanto teu capricho exigir/ Largo mulher e filhos/ E de joelhos/ Vou te seguir/ Na nossa casa/ Serás rainha/ Serás cruel, talvez/ Vais fazer manha/ Me aperrear/ E eu, sempre mais feliz”.

Com informações da Revista IstoÉ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *