Estado teve prejuízo de R$ 120 milhões só com compra dos vagões do VLT

Inquérito da Polícia Federal afirma que gestão Silval Barbosa adquiriu “mais vagões do que o necessário”

A denúncia é parte do inquérito da Polícia Federal utilizado pelo juiz da Sétima Vara Judiciária de Mato Grosso, Paulo César Sodré, que autorizou a deflagração nesta quarta-feira da “Operação Descarrilho”, que apura fraudes no processo de licitação para escolha do modal de transporte, além de sua implantação em Cuiabá e Várzea Grande. Os órgãos de controle chegaram ao montante utilizando informações levantadas pela Controladoria-Geral do Estado (CGE) após auditoria técnica da empresa KPMG, já na gestão do governador Pedro Taques (PSDB).

A PF assinala que houve um claro desvio de recursos públicos. “Mediante análise técnica da Controladoria-Geral do Estado, de auditoria técnica empreendida pela empresa KPMG e pelos relatórios da gerenciadora das obras do VLT, constata-se claramente que, nas obras do VLT, o então Secretário Extraordinário da Copa, Maurício Guimarães, na condição de ordenador de despesa, adquiriu mais vagões do que o necessário para a disposição do serviço de VLT causando prejuízo aos cofres públicos no montante de aproximadamente R$ 120 milhões”, diz trecho do inquérito.

Com informações da Folha Max.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *