Crônicas inéditas de José de Alencar são lançadas em livro

Oito crônicas inéditas do escritor cearense José de Alencar (1829-1877), descobertas em 2015 pelo pesquisador Wilton Marques, foram lançadas em livro. Ao correr da pena (Folhetins Inéditos) é o título da publicação, que tem o mesmo nome do folhetim escrito semanalmente por Alencar, entre os anos de 1854 e 1855, no jornal carioca Correio Mercantil. O lançamento foi feito pela editora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Marques explica que, em 1874, crônicas de Alencar foram reunidas em um livro organizado por José Maria Vaz Pinto Coelho, um admirador do escritor. Ficaram de fora, no entanto, oito textos. “Desde então, toda vez que as crônicas foram publicadas, seguiram o livro, e não o jornal”, explica o professor do departamento de letras da UFSCar, por isso os textos são considerados inéditos. Eles nunca foram republicados e, portanto, não foram recolhidos e nem estudados, restava, então, encontrar os motivos que levaram à supressão desses textos.

O livro traz o ensaio Enigma dos folhetins, de Wilton Marques, com a interpretação das crônicas. “Faço uma discussão para mostrar que foi o Alencar que pediu mesmo [a retirada]. Tem algumas marcas que é possível provar que o escritor não teria interesse daquele texto sair. Eu leio o folhetim, com olhar no ano que ele escreveu, que é entre 1854 e 1855, e o outro olhar em 1874, que é quando foi publicado. Tento mostrar que cada um desses folhetins tem alguma coisa que seria, digamos assim, reprovado publicamente, que traria problemas para ele”, explica o autor.

Com informações do Correio Braziliense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *