Circo Imperial da China desembarca na capital neste fim de semana

Formado originalmente em 1951 como parte do governo chinês, o circo precisou tornar-se independente para correr o planeta com shows

Verdadeira febre na moda, na beleza e até na gastronomia, os mitológicos unicórnios foram a temática escolhida pelo Circo Imperial da China para comemorar os 25 anos em turnê pelos palcos mundiais. No sábado (12) e no domingo (13), eles se apresentam em Brasília com As aventuras dos guardiões dos unicórnios. Embora seja guiado pelos preceitos da arte com mais de três mil anos de tradição no país oriental, o Circo Imperial da China agrega características dos “primos” ocidentais. Uma delas é a figura do palhaço. Eles garantem que a internacionalização não fere a essência do circo, baseada na vida simples e cotidiana da população chinesa. Tradição e modernidade caminham juntas e dão a tônica do espetáculo.

Alguns números são indispensáveis, como o equilíbrio de pratos. Diferentemente da pirotecnia de outros pares famosos, como o Cirque du Soleil, cumbucas e bacias são usadas nas apresentações. Há registros históricos de que essa prática foi usada há mais de cinco mil anos no treinamento de guerreiros chineses. Foram também os artistas de olhos puxados que criaram o equilibrismo na corda bamba, comum nos picadeiros de todo o planeta.

Com informações do Correio Braziliense. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *