Cavalcante: turismo sustentável em terras quilombolas

Santuário ecológico de Goiás, Chapada dos Veadeiros abriga a maior comunidade quilombola do Brasil

Um dos principais destinos turísticos da Chapada dos Veadeiros, Cavalcante (GO) tem entre seus principais atrativos os vãos entre montanhas e rios com grotões, nascentes, cachoeiras, corredeiras e cânions. O Vão das Almas e o Vão do Moleque, entre outros quase inacessíveis, serviram de abrigo para índios e escravos fugitivos do garimpo. A área de 250 mil hectares entre Cavalcante, Teresina de Goiás e Monte Alegre abriga, hoje, o maior território quilombola do Brasil, habitado pelos Kalunga. Uma das principais atividades econômicas deste povo é o turismo, marcado pela sustentabilidade, história e tradições.

No local, as famílias ainda mantêm o estilo de vida autossustentável. O povo Kalunga, que na língua banto significa lugar sagrado e de proteção, também pratica agricultura, pecuária, extrativismo, caça e pesca. A maior população Kalunga, com cerca de 5 mil pessoas, é a de Cavalcante. A comunidade Engenho II, a 30 km do centro de Cavalcante, atrai visitantes em busca do turismo de experiência e oferece opções de pousadas, camping e restaurantes caseiros.

Até o final do século passado os moradores viviam isolados, o que garantiu que um dos cartões postais da Chapada dos Veadeiros, a Cachoeira Santa Bárbara, de poço cristalino, continuasse preservada. O acesso é controlado pelos Kalunga. O guia Colecí Gonçalves, com sangue Kalunga e indígena (Avá-Canoeiros) é um dos sete guias de turismo cadastrados no Ministério do Turismo e que atuam na região.

Com informações do Ministério do Turismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *