A mulher brasileira e a vergonha do apelo sexual tipo exportação

O Brasil volta a um passado triste, quando as publicidades usadas por homens do governo para falar do Brasil eram o carnaval, o futebol e o biquíni da mulher brasileira, que ressaltava as suas curvas – um privilégio que seria do homem brasileiro, do pai brasileiro e do marido brasileiro.

Quando, naquele passado, tentavam fazer da mulher um produto de exportação, já havia reação nos homens brasileiros, filhos e maridos.

Aquele tempo em que o próprio brasileiro desmoralizava o Brasil dentro e fora do país parecia ter acabado, mas essa vergonha volta a nos atingir.

Nessa segunda-feira (24), o jornal inglês Times exibe reportagem, com chamada em sua primeira página e um caderno especial, que mostra quanto custa e como as mulheres podem fazer para ter os “destaques” daquilo que eles acham que seja a única coisa que a mulher brasileira tem: o apelo sexual.

Deveriam ser essas as observações dirigidas ao povo inglês? O que a Inglaterra deveria esclarecer ao mundo é como uma mulher pode ser assassinada – sem que ninguém descubra quem a matou – para que ela não pudesse se transformar numa rainha-mãe com hábitos amorosos repudiados pela realeza, como num passado recente aconteceu.

Com informações do Jornal do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *